Make your own free website on Tripod.com

Daniel 12 - Passado e Futuro

 

"E Jesus lhes disse: Vede e acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus. ...Como não compreendeis que não vos falei a respeito de pães? E sim: acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus. Então, entenderam que não lhes dissera que se acautelassem do fermento de pães, mas da doutrina dos fariseus e dos saduceus." Mateus 16, 6, 10, 11

 

Jesus possuía um terno cuidado por Seus discípulos, e estava desejoso de que cada um deles prosseguisse no caminho da verdade. Todavia, tinha em Satanás um inimigo tenaz, incansável em seus esforços para desviar mesmo os mais próximos deles. O inimigo das almas tinha nos fariseus os instrumentos que serviriam mais adequadamente ao seu propósito de enganar. Líderes do povo de Israel, estudiosos das Escrituras e professores do povo, eram tidos por este como os favorecidos de Deus, aqueles que haviam recebido o sagrado legado de transmitir o conhecimento da Palavra. Assim, sua opinião era muito respeitada, chegando mesmo a ser aceita como a voz de Deus, pois o próprio profeta Malaquias havia escrito: "Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens procurar a instrução, porque ele é mensageiro do Senhor dos Exércitos." Malaquias 2:7. Com tal deferência sendo prestada aos sacerdotes, Satanás sabia que obteria os melhores resultados em desviar o povo da verdade quando pudesse transmitir suas falsas doutrinas e ensinamentos por meio deles. E, como sabemos, logrou êxito em seus esforços. Os fariseus e saduceus tornaram-se, por sua satânica influência,  os mais acérrimos inimigos de Jesus e Sua verdade.

 

Satanás utilizou o quanto pôde o poder de influência dos sacerdotes sobre o povo para cumprir seu propósito. Por meio deles introduzia sofismas, doutrinas falsas, e através de seus comentários tornava confusa a positiva verdade declarada pelo divino Mestre em Seus muitos ensinos. Jesus, conhecendo a estratégia do enganador, e sabendo quão grande influência os ensinos dos fariseus e saduceus ainda possuíam sobre os discípulos, aconselhou-os a acautelarem-se do seu "fermento" - suas doutrinas não embasadas pela Palavra de Deus.

 

Nos dias de hoje, tanto como no passado, Satanás está em intensa atividade, e procura utilizar do mesmo expediente que usou no passado para desviar o povo da verdade. Jesus, conhecendo a estratégia do enganador, nos adverte pelo testemunho:

 

"Temos muito mais a temer de dentro do que de fora. Os obstáculos à força e ao êxito são muito maiores da parte da própria igreja do que do mundo." ME 1, 122

 

Jesus não se engana. Sabe onde estão os perigos da jornada cristã. E, no testemunho acima, dado à Igreja Adventista do Sétimo Dia (doravante designada - IASD), diz que os maiores obstáculos ao êxito na caminhada cristã estão DENTRO desta igreja. Satanás está procurando colocar o "fermento dos fariseus", as doutrinas e entendimentos distorcidos das Escrituras, em nossa mente, por meio de agentes que se encontram DENTRO da igreja. Sabe que por este método terá mais êxito, tal como teve no passado. E como podemos estar protegidos contra estes enganos? O que devemos fazer para não sermos enganados pelos instrumentos de Satanás que estão DENTRO da IASD? Jesus claramente nos adverte:

 

"E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará". João 8:32

 

Embora o perigo de ser enganado ronde as fileiras da própria igreja, o conselho de Jesus para que não sejamos enganados é fácil de ser seguido. Pesquisemos a verdade - as Escrituras e os testemunhos de Jesus, e não seremos enganados. Podemos confiar este trabalho a outros - ainda que sejam pastores aparentemente instruídos e consagrados - para que pesquisem por nós a fim de não sermos enganados? Jesus nos responde:

 

"Quando o doutor veio a Jesus com a pergunta: "Que farei para herdar a vida eterna?" o Salvador lhe fez referência às Escrituras, dizendo: "Que está escrito na lei? como lês?" A ignorância não desculpará jovens ou velhos, nem os livrará do castigo devido pela transgressão da lei de Deus, pois têm ao alcance uma exposição fiel daquela lei, de seus princípios e requisitos. Não basta termos boas intenções; não basta fazermos o que se julga ser direito, ou o que o ministro diz ser correto. A salvação de nossa alma está em jogo, e devemos examinar as Escrituras por nós mesmos. Por mais fortes que possam ser nossas convicções, por maior confiança que tenhamos de que o ministro sabe o que é a verdade, não seja este o nosso fundamento. Temos um mapa dando todas as indicações do caminho, na jornada em direção ao Céu, e não devemos estar a conjeturar a respeito de coisa alguma.... Devemos dia após dia estudar a Bíblia, diligentemente, ponderando todo pensamento e comparando passagem com passagem. Com o auxílio divino devemos formar nossas opiniões por nós mesmos, visto termos de responder por nós mesmos perante Deus." GC, 598

 

"À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva." Isaías 8:20 Esta deve ser nossa palavra de ordem.

 

Um perigo nos dias de hoje

 

Atendendo ao conselho de Jesus quanto a pesquisarmos por nós mesmos, comparemos uma declaração que se encontra na lição da Escola Sabatina da Igreja Adventista do Sétimo Dia, no dia 23 de dezembro de 2004. O texto diz assim, referindo-se ao capítulo 12 do livro de Daniel:

 

"No fim do livro, encontramos duas profecias de tempo (os 1.290 e os 1.335 dias), que alguns adventistas consideram dias literais no futuro próximo....

Por estas razões e outras mais, como a declaração de Ellen G. White de que depois de 1844 "não pode haver contagem definida de tempo profético" (Ellen G. White, Manuscrito 59, 1900), rejeitamos as tentativas de dar a essas profecias um cumprimento futuro. Elas pertencem ao passado." Lição da Escola Sabatina (ADULTOS - Aluno), Outubro-Dezembro 2004 - pág. 88 - 23 de dezembro de 2004

 

O texto acima apresenta duas afirmações:

 

1 - que os 1290 e os 1335 dias teriam pertencido ao passado, como dá a entender pela forma como apresenta o trecho do Manuscrito 59 de Ellen G. White;

 

2 - que não há mais profecia de tempo definido a se cumprir após o ano de 1844.

 

Seriam verdadeiras estas afirmações? Para sermos esclarecidos, comparemos as afirmações acima com a Palavra de Deus e os testemunhos. Analisando a afirmação "2" da lição, comparamos ela com o testemunho a seguir, dado por Jesus a nós:

 

"Nos últimos dias Satanás aparecerá como um anjo de luz...então se dará o cumprimento final da profecia do Revelador: "e foi-lhe dada autoridade para agir durante quarenta e dois meses" Ellen G. White, Manuscript Releases, Volume 19, página 282

 

O testemunho se refere à profecia de Apocalipse 13 (verso 5). Aponta para um tempo futuro no qual Satanás aparecerá como anjo de luz, e "então se dará o cumprimento final da profecia", que diz: "foi-lhe dada autoridade para agir quarenta e dois meses". Esta profecia fala de um tempo determinado de "quarenta e dois meses". Como podemos observar, este testemunho mostra claramente que este período de tempo terá um cumprimento final no "FUTURO". O fato de os 1260 dias estarem em um tempo futuro ao de Ellen G. White (que morreu em 1915), e de terem que se cumprir antes da vinda de Cristo à Terra, prova que estes dias não podem ser dias-anos. Se o fossem, teríamos que supor que teríamos mais de mil anos pela frente antes do segundo advento de Cristo. Esta suposição seria absurda dos pontos de vista profético e mesmo científico, pois até mesmo os mais renomados cientistas do mundo prevêem dificuldades para a manutenção da própria vida humana em um prazo de 50 anos.

 

Em um outro testemunho, Ellen G. White confirma a verdade de que os 1260 dias de Apocalipse 13 se cumpririam no futuro de seu tempo:

 

"A questão do dia de repouso será o tema de disputa no grande conflito em que todo o mundo terá uma parte. [cita-se Apoc. 13:4-8, 10.] Todo o capítulo é uma revelação de que com certeza há de acontecer [cita-se Apoc. 13:11, 15-17] (Manuscrito 88, 1897) Comentário Bíblico Adventista (Espanhol), Vol. 7, pág. 990

 

O testemunho acima foi escrito em 1897 (portanto após 1844), e afirma claramente que "todo o capítulo" "com certeza há de acontecer". Apresenta a verdade de maneira clara e simples, como Jesus o faria. Portanto, o testemunho de Jesus não nos deixa dúvidas: existem sim, profecias de tempo definido a se cumprir após 1844. Assim, a dedução feita pelos autores da Lição da Escola Sabatina da IASD, no texto transcrito aqui, de que "não existem profecias de tempo determinado a se cumprir após 1844", é falsa. Jesus nos aconselha: "acautelai-vos do fermento dos fariseus".

 

Pode você, então, irmão leitor, perguntar: "mas, não apresenta o texto da lição um texto de Ellen G. White que afirma não haver contagem definida de tempo definido após 1884?". Perceba que a palavra “contagem” não é sinônima da palavra “profecia” – pesquise no dicionário e constate. Se realmente Jesus houvesse dado a Ellen G. White um testemunho indicando que não haveriam mais profecias de tempo a se cumprir após 1844, nunca poderia ter dado a ela os dois testemunhos que lemos acima, mostrando que o cumprimento de Apocalipse 13 se dará no futuro. O que ocorre é que os adventistas haviam esperado o segundo advento de Cristo para 22 de outubro de 1844, como cumprimento da profecia (de tempo definido) das 2300 tardes e manhãs, e haviam sido decepcionados. Como após tal decepção, muitos adventistas se puseram a apresentar novos diagramas mostrando um tempo definido para a segunda vinda, Jesus deu a Ellen G. White o testemunho dizendo que não guiaria um povo a fixar um cumprimento de profecia de tempo definido para a Sua segunda vinda - após 1844. Veja por você mesmo:

 

"Alguns foram levados ao erro de fixar repetidas vezes um tempo definido para a vinda de Cristo. A luz que então brilhava do assunto do santuário ter-lhes-ia mostrado que nenhum período profético se estende até ao segundo advento; que o tempo exato para esta ocorrência não está predito. Mas, desviando-se da luz, continuaram a marcar repetidamente o tempo da vinda do Senhor, e outras tantas vezes foram desapontados." O Grande Conflito, pág. 456

 

"Tenho sido repetidamente advertida com referência a marcar tempo. Nunca mais haverá para o povo de Deus uma mensagem baseada em tempo. Não devemos saber o tempo definido nem para o derramamento do Espírito Santo nem para a vinda de Cristo....O Senhor mostrou-me que a mensagem deve ir, e que não deve depender de tempo; pois o tempo não será nunca mais uma prova. Vi que alguns estavam ficando com uma falsa agitação, nascida de pregar-se o tempo...

Jesus disse a Seus discípulos "vigiai", mas não para um tempo definido. Seus seguidores devem encontrar-se na posição dos que estão à escuta das ordens de seu Comandante; devem vigiar, esperar, orar, e trabalhar à medida que se aproxima o tempo da vinda do Senhor; ninguém, no entanto, será capaz de predizer exatamente quando virá aquele tempo; pois "daquele dia e hora ninguém sabe"." Mensagens Escolhidas, Vol.1, 188

 

"O povo não terá outra mensagem sobre um tempo definido. Depois desse período de tempo (Apoc. 10:4-6), estendendo-se de 1842 a 1844, não pode haver um traçado definido do tempo profético. A contagem mais longa vai até o outono de 1844. " Eventos Finais, pág. 36 (paginação da Versão do CD de Ellen G. White – versão em língua portuguesa)

 

Os testemunhos acima esclarecem que os testemunhos dados por Jesus a Ellen G. White informando que não haveria mais mensagem de "tempo definido" referiam-se a apontar um tempo definido para a segunda vinda de Cristo. Isto não significa que não haveriam profecias de tempo definido após 1844. Fosse tal afirmação verdadeira, contrariaria as próprias verdades estabelecidas na própria Palavra de Deus, pois Noé, no passado, pregou um tempo definido (120 anos) para o encerramento do tempo de graça (derramamento das águas do dilúvio) para os antediluvianos; e Jesus, falando do tempo do fim, do encerramento da graça no nosso tempo da Sua segunda vinda, disse: "pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem." Mateus 24:37. Assim como houve uma mensagem de tempo definido indicando o encerramento do período de graça nos dias de Noé, ocorrerá em nossos dias. Teremos mensagens de tempo definido.

 

Os 1290 e os 1335 dias

 

Comparemos agora a primeira afirmação contida no texto que extraímos da página 88 da lição da Escola Sabatina com os testemunhos:

 

1 - que os 1290 e os 1335 dias pertencem ao passado

 

Pesquisando, encontramos o testemunho abaixo, dado por Jesus a Ellen G. White:

 

"Há necessidade de mais íntimo estudo da Palavra de Deus; especialmente devem Daniel e Apocalipse merecer a atenção como nunca dantes na história de nossa obra. ... A luz que Daniel recebeu de Deus foi dada especialmente para estes últimos dias." (Review and Herald, 18 de fevereiro de 1890) Testemunhos Para Ministros, págs. 112 e 113.

 

O testemunho acima foi escrito em 1890 e fala que a luz que Daniel recebeu de Deus foi dada para estes últimos dias. Somente este testemunho já deveria nos despertar para o fato de que a luz de Daniel não deve ser considerada como estando se referindo somente ao passado de nossos dias. Todavia, encontramos um testemunho ainda mais contundente, que se refere ao capítulo 12 de Daniel, onde estão relatados os períodos de 1290 e 1335 dias (versos 11 e 12) comentados pela lição da Escola Sabatina:

 

"Leiamos e estudemos o capítulo doze de Daniel. Ele é uma advertência que todos nós precisamos compreender antes do tempo de angústia." Manuscript Releases, vol. 15, pág. 228. Eventos Finais, pág. 15

 

O texto acima diz que todo o capítulo 12 de Daniel é uma advertência que precisamos compreender antes do tempo de angústia. Jesus nos disse, por meio de Seus testemunhos que o "tempo de angústia" começará em um tempo futuro ao nosso, após a promulgação do decreto dominical nos Estados Unidos da América:

 

"Por um decreto que visará impor uma instituição papal em contraposição à lei de Deus, a nação americana se divorciará por completo dos princípios da justiça. ...

Como a aproximação dos exércitos romanos foi um sinal para os discípulos da iminente destruição de Jerusalém, assim essa apostasia será para nós um sinal de que o limite da paciência de Deus está atingido, que as nações encheram a medida de sua iniqüidade, e o anjo da graça está a ponto de dobrar as asas e partir desta Terra para não mais tornar. O povo de Deus entrará então num período de aflição e angústia que o profeta designa "o tempo da angústia em Jacó"." Testemunhos Seletos Vol. 2, págs. 150, 151

 

"Tremendas provas e aflições aguardam ao povo de Deus. O espírito de guerra está incitando as nações de um a outro canto da Terra. Mas em meio ao tempo de angústia que está para vir - tempo de angústia qual nunca houve desde que existe nação - o povo escolhido de Deus ficará inabalável. " Testemunhos Seletos, Vol. 3, pág. 285

 

Uma vez que o tempo de angústia ainda não se iniciou, e Jesus nos fala pelo Seu testemunho que precisamos compreender todo o capítulo 12 de Daniel antes deste tempo se iniciar, é evidente que todo o capítulo 12 de Daniel (incluindo os períodos de 1290 e 1335 dias) está relacionado com este tempo de angústia futuro.  Um outro testemunho coloca-nos de forma mais clara que os períodos de 1290 e 1335 dias se cumprirão no futuro. Falando a sobre explicação dada pelo anjo a Daniel, que se estende desde o capítulo 10 até o 12 (incluindo, portanto, os períodos de tempo de 1290 e 1335 dias), Jesus nos diz em Seu testemunho:

 

"Quando o anjo estava prestes a revelar para Daniel as importantes profecias que deviam ser registradas para nós que testemunharemos o seu cumprimento, o anjo disse: "Sê forte, sê forte." Dan. 10:19. Devemos receber a mesmíssima glória que foi revelada a Daniel, pois ela é para o povo de Deus nestes últimos dias, para que dêem à trombeta um sonido certo." (Manuscrito 18, 1888) Mensagens Escolhidas, Vol. 3, pág. 391

 

Leia os capítulos 11 e 12 de Daniel na sua Bíblia. Note que o anjo inicia a explicação em Daniel 11:2, com as palavras: "agora, eu te declararei a verdade", e segue com a explicação até o final do capítulo 12 (Daniel 12:13). Jesus nos disse através do testemunho acima, dado no ano de 1888 (portanto, após 1844), que nós "testemunharemos" o cumprimento das palavras do anjo. Com clareza Jesus nos mostra que as palavras do anjo relatadas no capítulo 12 de Daniel, que incluem os períodos de tempo de 1290 e 1335 dias, serão cumpridas no futuro, e nós testemunharemos seu cumprimento. Um último testemunho, que apresentamos abaixo, confirma esta verdade. Relata os períodos de tempo de Daniel 12 e, neste contexto, nos diz que o livro de Daniel nos transporta para as "últimas cenas da história da Terra":

 

""Eu, pois, ouvi, mas não entendi; por isso, eu disse: Senhor meu, qual será o fim dessas coisas? E Ele disse: Vai, Daniel, porque estas palavras estão fechadas e seladas até ao tempo do fim. Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão. E, desde o tempo em que o contínuo sacrifício for tirado e posta a abominação desoladora, haverá mil duzentos e noventa dias. Bem-aventurado o que espera e chega até mil trezentos e trinta e cinco dias. Tu, porém, vai até ao fim; porque repousarás e estarás na tua sorte, no fim dos dias." Dan. 12:8-13....

Daniel ficou na sua sorte para dar seu testemunho, que foi selado até ao tempo do fim, quando devia ser proclamada ao mundo a mensagem do primeiro anjo. Esses assuntos são de infinita importância nesses últimos dias; mas enquanto "muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá". Dan. 12:10. Como isso é verdade! O pecado é a transgressão da lei de Deus; e os que não aceitarem a luz com relação à lei de Deus, não compreenderão a proclamação da primeira, segunda e terceira mensagens angélicas. O livro de Daniel é descerrado na revelação a João, e nos transporta para as últimas cenas da história da Terra." Testemunhos para Ministros, pág. 115

 

Ainda considerando os períodos de 1290 e 1335 dias, vemos que, ao estudarmos o capítulo 12 de Daniel de acordo com a instrução contida nos testemunhos de Jesus, só podemos concluir que estes sejam compostos por dias literais de 24 horas. Veja o conselho dos testemunhos:

 

“Com intenso interesse estudou os livros de Daniel e Apocalipse, empregando os mesmos princípios de interpretação que para as demais partes das Escrituras; e descobriu, para sua grande alegria, que os símbolos proféticos podiam ser compreendidos. Viu que as profecias já cumpridas tiveram cumprimento literal; que todas as várias figuras, metáforas, parábolas, símiles, etc., ou eram explicados em seu contexto, ou os termos em que eram expressos se achavam entendidos literalmente.” O Grande Conflito, pág. 320

 

O testemunho acima mostra que Guilherme Miller, guiado por Deus, descobriu que os símbolos apresentados nas profecias ou eram explicados pelo seu contexto, ou deveriam ser entendidos segundo o máximo sentido literal. Ao lermos o capítulo 12 de Daniel, não encontramos nenhum animal ou besta simbólicos. Tampouco encontramos qualquer trecho que diga serem os 1290 e 1335 dias dias/ano. Assim, segundo o método de interpretação bíblica informado por Jesus através do testemunho acima, só podemos entender os períodos de tempo de 1290 e 1335 dias de Daniel 12 como DIAS LITERAIS DE 24 HORAS.

 

Portanto, a afirmação da lição da Escola Sabatina, de que os períodos de tempo de 1290 e 1335 dias de Daniel 12 estão no passado, não pode ser aceita, pois não possui amparo bíblico e nem nos testemunhos de Jesus.

 

É interessante notar que a lição da Escola Sabatina da IASD, na página 92, apresenta a seguinte afirmação:

 

"rejeitamos as tentativas de dar a essas profecias de tempo um cumprimento futuro. Elas pertencem ao passado."

 

Resta-nos responder a pergunta: quem está por traz deste esforço de esconder de nós o fato de haverem profecias de tempo definido, no capítulo 12 de Daniel e em outras partes da Bíblia, para se cumprir nos nossos dias? Obviamente, Satanás, o inimigo das almas. Ele conhece o texto da Palavra de Deus que afirma: "Não havendo profecia, o povo se corrompe". Prov. 29:18. Ora, quem tem interesse de que o povo de Deus se corrompa, senão Satanás? É ele quem deseja que o povo de Deus durma, e não acompanhe o cumprimento das profecias, para que não conheça o tempo da sua visitação, como fez com os judeus do passado, quando lhes cegou o entendimento para reconhecerem o cumprimento das profecias na vida de Jesus.

 

Ao procurar-se saber quem são os autores desta lição da Escola Sabatina, lê-se na primeira página após a capa:

 

"A preparação da lição está sob a direção geral de uma Comissão Mundial da Escola Sabatina, cujos membros atuam como consultores. Esta publicação reflete o pensamento da Comissão, e não representa apenas ou necessariamento o desígnio do autor principal."

 

Perguntaríamos então: mas poderia Satanás utilizar os autores da lição da Escola Sabatina da IASD, a igreja levantada por Deus, para desviar o Seu povo da verdade? Perguntas similares poderiam ser feitas no passado relativamente aos fariseus e saduceus. E tão certo quanto os fariseus e saduceus do passado estavam a fazer a obra do inimigo das almas por desviarem o povo da verdade revelada nas Escrituras, apresentada por Cristo, os autores desta lição da Escola Sabatina da Igreja Adventista do Sétimo Dia, fariseus e saduceus modernos, estão a fazer a mesma obra, ensinando teorias que são contrárias às verdades reveladas por Jesus através do Seu testemunho. Assim, tão certas e oportunas quanto foram as palavras de Jesus dirigidas aos discípulos no passado, o são para você hoje, irmão estudante desta lição:

 

""E Jesus lhes disse: Vede e acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus." Mateus 16: 6

 

"As severas denúncias que Cristo proferiu contra os fariseus por ensinarem como doutrina mandamentos de homens, revelam a necessidade de precaver-nos contra as teorias que não estão em harmonia com a verdade da Palavra de Deus. Manuscrito 78, 1904." Medicina e Salvação, pág. 90

 

Que Deus te abençoe,

 

Ministério 4 anjos

jairof@gasomax.com.br

 

RETORNAR