Make your own free website on Tripod.com

No Tempo do Fim

 

EDITORIAL

Nossa Opinião! Nossa Opinião! Nossa Opinião! Nossa Opinião!Nossa Opinião! Nossa Opinião! Nossa Opinião! Nossa Opinião!Nossa Opinião! Nossa Opinião! Nossa Opinião! Nossa Opinião!Nossa Opinião! Nossa Opinião! Nossa Opinião! Nossa Opinião!

 

25/04/2008

ESTAMOS VOLTANDO! Depois de mais de um ano, estamos voltando a EDITAR os nossos sites... Estivemos durante este tempo "fora do ar" por motivos financeiros. Ficamos impossibilitados de manter as despesas de Linha Telefônica (acabamos por perdê-la) e de Internet... Agora, graças ao ETERNO, estamos adquirindo uma nova linha e com isto pretendemos - com a ajuda de irmãos que se propõem a nos ajudar com suas ofertas (II Cor 9:7) - atualizar nossos sites, pois ao longo deste tempo sem contato com os irmãos, muitas coisas mudaram em nossas crenças e este é o nosso objetivo: Publicar o que nos foi revelado sobre a Palavra! Orem por nós... Amnao!

OBS: O interessante é que em nosso último EDITORIAL, falamos sobre a Teoria dos Sete Reis e agora estamos voltando justamente com este tema...

13/02/2006

SETE REIS - Papa reaparece, fala três vezes  e afirma que seguirá em seu posto: (Agencia EFE – Último Segundo/IG).

 

João Paulo II, de 84 anos, reapareceu hoje, domingo, em público, três dias após receber alta médica, para desafiar seu precário estado de saúde, demonstrar que está melhorando e que, embora tenha a voz muito fraca, está disposto a seguir à frente da Igreja até o final:

 

"Queridos irmãos e irmãs, sejam bem-vindos". Estas foram as primeiras palavras pronunciadas pelo papa, com voz ronca e cansada, assim que se aproximou da janela de seu apartamento, que dá para a praça de São Pedro, onde lhe esperavam, emocionadas, milhares de pessoas.

O papa, depois, falou outras vezes: uma para pronunciar a fórmula em latim que antecede a bênção e outra no final do Ângelus, quando com voz ronca, mas mais clara do que no início, se despediu com um "lhes desejo um feliz domingo, obrigado".

O Bispo de Roma apareceu sozinho na janela que, desta vez, não foi protegida por nenhum vidro.

O texto preparado para o Ângelus foi lido do interior do quarto papal pelo substituto da Secretaria de Estado (o "número três" do Vaticano), o arcebispo argentino Leonardo Sandri.

Em seu discurso, o Bispo ressaltou que estava "novamente" na praça de São Pedro para agradecer o Senhor e agradecer a todos os fiéis o afeto que lhe mostraram durante os nove dias em que esteve hospitalizado na Policlínica Gemelli de Roma, afligido por uma crise respiratória aguda originada por uma gripe.

O Pontífice pediu que os fiéis rezem por ele e reiterou, de forma indireta, que seguirá à frente da Igreja enquanto Deus quiser.

"Necessito sempre de vossa ajuda ante o Senhor para cumprir a missão que Jesus me confiou", afirmou o Bispo de Roma no texto lido por Sandri.

Esta é a segunda vez desde que saiu do hospital e regressou ao Vaticano que ele pede que rezem por ele e por sua missão à frente da Igreja Católica, cujo "governo", segundo precisou neste fim de semana o Vaticano, segue em suas mãos.

Carol Wojtyla também pediu pela paz no Oriente Médio e fez um chamado pela libertação da jornalista italiana Giuliana Sgrema, seqüestrada no Iraque e de todas as pessoas que estão nesse país nas mesmas circunstâncias.

João Paulo II lembrou que na quarta-feira passada, com o ritual das Cinza, começou a Quaresma, "tempo litúrgico que anualmente nos lembra uma verdade fundamental: não se entra na vida eterna sem levar nossa cruz em união com Cristo".

"Não se alcança a felicidade e a paz sem enfrentar com coragem a luta interior. É um combate que se vence com as armas da penitência: a prece, o jejum e as obras de misericórdia. Tudo isso é preciso ser feito sem hipocrisia e com espírito sincero de amor para com Deus e os irmãos", escreveu (?) o papa.

O Bispo de Roma disse que, como todos os anos por causa da Quaresma, hoje se retirará em exercícios espirituais junto aos membros da Cúria Romana e que rezará por todas as necessidades da Igreja e do mundo.

De novo, voltou a pedir aos fiéis que rezem por ele.

Depois do Ângelus, como é habitual, o papa costuma saudar em diferentes idiomas. Hoje, em seu nome, o fez Sandri.

"Com a oração, a esmola e o jejum intensificai vosso caminho de conversão", leu Sandri do texto papal.

Sandri falou em espanhol, inglês, italiano e francês, mas em polonês não se atreveu. A saudação dirigida aos compatriotas do papa foi lida por seu secretário particular, o arcebispo polonês Estanislao Dziwisz.

Por causa dos exercícios espirituais, todas as atividades do papa para a próxima semana foram suspensas.

 

Crifos Nossos...

 

NOSSA OPINIÃO:

 

Estamos vivendo extra-oficialmente o governo do “Sétimo Rei” do Apoc 17? SIM! Note pela notícia acima que o papa João Paulo II está apenas fazendo a sua parte: Mostrar-se publicamente! Lembram-se de Trancredo Neves? Aparências... Nem mesmo podemos – e isto temos certeza – afirmar que os textos lidos foram escritos pelo mesmo.

Até quando os seus discípulos diretos (na cadeia do comando) estarão aceitando este governo de “faz de conta”, não sabemos... Lei para a sua renuncia já temos e foi assinada por ele mesmo (João Paulo II) em 1996.

Muito conveniente esta “quaresma” e o seu retiro (como de costume: Você crê nisto?) onde por alguns dias não precisará mostrar-se! Exceto em fatos extremos – como a morte de sua santa viva, Lúcia; venerada por ter tido um encontro com a “virgem” e ter recebido os três segredos de Fátima – não teremos a “necessária” presença pontifica!

Notamos que por uma questão de “orgulho real” ele se recusa a renunciar ao cargo que “os homens” lhe deram... Nesta semana um cardeal de 78 anos renunciou – fazendo uso da lei outorgada pelo atual papa - ao cargo que ocupava na França, justamente, pela idade, julgar-se incapaz de exercer o cargo!

Mas... este orgulho papal é que nos faz antever que a “Nova Interpretação Sobre os Sete Reis do Apocalipse 17” tem tudo para estar correta (Clic Aqui e Veja um Resumo desta profecia)!

Com esta atitude nepótica e devido às crises de saúde, João Paulo II pode muito bem “pedir uma licença”, entra um “Sétimo Reis” (que dura pouco – as profecias indicam cerca de 5 meses) e finalmente ele reassume o seu pontificado (agora na condição de Oitavo Rei, porém – como diz a profecia – sendo um dos SETE!

Irmãos, fiquem atento! Cristo está às portas... Não cumpra em você a profecia que diz: Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos. (Jeremias 8:20 RA).

Assuma a sua posição ao lado do DEUS único e pregue a Breve Volta do Nosso Senhor: Jesus, o unigênito de DEUS!

Amém.

RETORNAR

05/01/2006

         <º)))><  Rosh Hashaná  ><(((º>

 

Janeiro sempre é aguardado com muito ansiedade pelas pessoas.. Depois de um período (ano) em que as coisas tenderam para o mal e pior, estamos exauridos e sonhamos com novas oportunidades... Novas esperanças, novos ideais e novos propósitos!

Mas, porque esperar por janeiro? Dependemos de um calendário civil para melhorar as condições espirituais de nossa vida? Perguntas, cujas respostas certamente serão diferentes para cada um de nós.

Mas, deveria ser assim? Não temos um DEUS todo poderoso que nos ama? Não deixou Ele, instruções de como agirmos em cada uma das situações embaraçosas que o inimigo nos poria à frente?

E, uma destas situações em que nos deparamos é quando um amigo (denominacional ou não) chega para nós e nos deseja: Feliz Natal e BOM ANO NOVO! Imediatamente e cordialmente retribuímos a ele com os nossos mais sinceros votos de Boas Festas...

Deveríamos agir assim? Seria bíblico participar destas comemorações que, assim como o natal, também advém do paganismo que segundo a melhor tradição Wicca (seita dos bruxos) nossa vida é como uma “roda” e a cada anos damos mais uma volta. É a Roda da Vida!

E, a cada janeiro, inicia-se mais uma volta... Vem os presságios, as adivinhações e as simpatias para podermos usufruir dos “novos fluxos”! E nós, felizes, participamos e concordamos com estas “tradições pagãs”. É satanás agindo para denegrir o plano da salvação!

Sabemos que DEUS em Sua onisciência, nos preparou um calendário civil-religioso para orientar a nossa vida em direção à Ele. Este calendário deixou-nos registrado em Sua sagrada Palavra – a Bíblia!

E, o inimigo, não deixando por menos também procurou ocultar este calendário que nos daria o dia exato em que estaríamos iniciando mais um ano – abençoado – de atividades. Este dia anuviado pelo inimigo é o que chamamos Rosh Hashaná: o Ano Novo!

Para algumas tradições da Wicca, o ano se inicia no Solstício de Inverno. Outras consideram a noite do dia 31 de Outubro como início do ano. Essa data é conhecida como Halloween ou Dia das Bruxas, mas seu nome tradicional é Samhain, que significa "Sem Sol", referindo-se ao tempo de Inverno. Essa época também é correspondente ao Ano Novo Judaico (Rosh Hashaná).

Observe, porém que DEUS preparou ao homem quatro ocasiões em que ele deveria se achegar ao Criador: Quatro Anos Novos ou Rosh Hashanás

O Talmud, no Tratado Rosh Hashaná, nos explica sobre os quatro Rosh HaShanás no calendário Judaico:

1) O primeiro dia do mês Hebreu de Nissán (10 de Abril) Calendário Religioso - é o Ano Novo em relação à contagem dos anos no reinado dos Reis de Israel

2) O primeiro dia de Elul é o Ano Novo em relação à retirada do dízimo dos animais (5 de Setembro) Dízimo dos Animais: Um em cada dez animais nascidos entre Elul do ano anterior e o início deste Elul eram doados ao Templo Sagrado – Ano Pecuário

3) O primeiro dia de Tishrei (13/14 de Outubro) é o Ano Novo para o julgamento dos seres humanos: para a vida ou a morte, riqueza ou pobreza, doenças ou saúde, bem como para a contagem do Ano Sabático (Shemitá) e do Ano do Jubileu (Yovêl) para a Terra de Israel. Também a partir deste dia (4 de outubro) se conta o período de 3 anos, a partir do plantio de uma árvore frutífera, nos quais não se pode comer seus frutos (Orlá), bem como para o cálculo dos dízimos que devem ser retirados das colheitas de grãos e vegetais – Ano Agrícola

4) O dia 15 de Shevát (17 de Novembro) é o Ano Novo para as árvores, com referência ao cálculo do dízimo que seria retirado de suas frutas, em prática na época do Templo Sagrado.

Vemos então que seriam quatro ocasiões especiais mas a principal delas – e esta realmente assumiu o nome de Rosh Hashaná – teria sido comemorada em 16 de setembro de 2006 e até dia 4 de outubro de 2005, estamos vivendo o Ano Novo!

 

RETORNAR

09/12/2004

O Natal e o Adventista do Sétimo Dia!

Chegou dezembro e as lojas se enfeitam para a festa máxima do cristianismo... É Natal e o espírito das pessoas se alegram. As crianças ficam eufóricas aguardando o grande Dia! Na TV o Papai Noel simpaticamente atrai as crianças para o consumismo! Você poderia pensar então que esta festa é pura tradição – a Bíblia nem diz o dia em que Jesus nasceu! – mas como deixar os seus filhos de fora se “todos” neste dia estão se felicitando, trocando presentes, comendo coisas gostosas, etc, etc, etc...

Como não fazer uma comida toda especial se das casas dos vizinhos está vindo um cheiro delicioso dos assados? Como não dar presentes se os filhos dos nossos amigos foram presenteados?

Como não participar da Ceia de Natal – principalmente se for à luz de velas "à meia-noite", regadas com champanhe Super-Bom – se os nossos parentes nos convidaram para a grande confraternização? Respostas difíceis para quem tem Cristo no coração!

Como cristãos devemos ou não participar desta festa natalina? Podemos esboçar uma resposta ao lembrarmos de como esta festa foi introduzida no ceio do cristianismo (em diversas páginas da Internet, inclusive aqui, você pode ficar sabendo das origens pagãs do Natal, do 25 de dezembro e da árvore de natal) mas, quando entramos em nossas igrejas e encontramos árvores de natal enfeitando os nossos púlpitos, irmãos correndo listas de amigo secreto, departamento infantil preparando uma lembrancinha para nossas crianças (tudo embasado em textos “inspirados” – lembre-se que nem tudo que Paulo falava era inspirado - I Cor 7:12) e sermões incitando-nos a fazer uma oferta especial de agradecimento neste “grande” dia; tudo isto torna difícil uma resposta que não seja constrangedora!

Mas para ajudá-los a responder esta pergunta de um modo um pouco mais satisfatório, fizemos uma tabela comparativa entre o Salvador (o filho de DEUS) e o Papai Noel (uma contrafação demoníaca):

 

Jesus Cristo: Nosso Senhor e Salvador de Acordo com a Bíblia

Papai Noel: A Falsificação de Acordo com o Mito Humano

 

 

1.Tem os cabelos brancos como a lã [Apoc 1:14]

1. Tem os cabelos brancos como a lã

2. Tem barba [Isaías 50:6]

2. Tem barba

3. Veste um manto vermelho [Apocalipse 19:13]

3. Veste-se de vermelho

4. A hora da sua vinda é surpresa [Luc 12:40; Mar 13:33]

4. A hora da sua vinda é surpresa  

5. Vem do norte, onde vive [Ezequiel 1:4; Salmos 48:2]

5. Vem do pólo norte, onde vive  

6. Trabalhou como carpinteiro [Marcos 6:3]       

6. Fabrica brinquedos de madeira

7. Vem como o ladrão de noite [Mateus 24:43-44]        

7. Vem como o ladrão de noite; entra na casa como um ladrão

8. Onipotente - o Todo-poderoso [Apocalipse 19:6]        

8. Onipotente - pode entregar todos os brinquedos no mundo inteiro em uma só noite.

9. É onisciente - conhece todas as coisas [Hebreus 4:13; 1 João 3:20]  

9. É onisciente - sabe se a criança foi boa ou má o ano todo

10. É onipresente [Salmos 139:7-10; Efésios 4:6; João 3:13] 

 

10. É onipresente - vê quando a criança está acordada ou dormindo. Precisa estar em toda  parte ao mesmo tempo para entregar todos os presentes em todo o mundo na mesma noite

11. Vive para todo o sempre [Apocalipse 1:8; 21:6]

11. Vive para sempre

12. Vive naqueles que o receberam [1 Coríntios 3:16; 2 Coríntios 6:16-17]

12. Vive no coração das crianças

13. Distribui dons [Efésios 4:8]     

13. Distribui presentes

14. É a verdade absoluta [João 14:6]     

14. Fábula absoluta [1 Timóteo 1:4; 4:7; 2 Timóteo 4:4]

15. Senta-se em um trono [Apocalipse 5:1; Hebreus 1:8]   

15. Senta-se em um trono

16. Somos exortados a nos achegar ao seu trono de graça e a expor nossas necessidades a ele [Hebreus 4:16] 

16. As crianças são convidadas a se aproximarem do seu trono e a pedir tudo o que quiserem

17. Um de seus mandamentos é que os filhos honrem aos pais       

17. Diz às crianças para obedecerem aos pais

18. Convida as crianças a irem a ele [Mar 10:14]

18. Convida as crianças a irem a ele

19. Julga [Romanos 14:10; Mateus 25:31-46]    

19. Julga se a criança foi boa ou má

20. Pai da Eternidade [Isaías 9:6] 

20. Papai Noel (Pai do Natal)

21. Menino Jesus [Mateus 1:23; Lucas 2:11-12]

21. Kris Kringle [significa Menino Cristo]

22. Digno de receber orações e adoração [Apocalipse 5:12-14; Hebreus 1:6]

22. As crianças adoram e rezam a São Nicolau

23. Senhor dos Exércitos [Malaquias 3:5; Isaías 8:13; Salmos 24:10]        

23. Senhor de um exército de elfos [na tradição druídica, os elfos eram demônios ou espíritos das árvores]

24. Deus diz, "Eh! Eh! ... [Zacarias 2:6]  

24. O Papai Noel diz "Ho, ho, ho..."

25. Príncipe da Paz, a Imagem de Deus [Isaías 9:6; Hebreus 1:3];

25. Símbolo da Paz Mundial, a imagem do período do Natal.

Vinte e cinco características em homenagem ao domingo dos domingos: o 25 de dezembro... Afinal as pessoas estão de coração aberto para ouvir de Jesus: VOCÊ TEM APROVEITADO ESTA OPORTUNIDADE?

feliz natal!!!     

RETORNAR

18/11/2004

É Vergonhoso ser considerado ariano?

Nossos Pioneiros constantemente são acusados de serem semi-arianos (porque não totalmente? – será que com isto, querem “proteger” EGW?) para contrapor-se à uma postura que a atual IASD (1980) adota: o trinitarianismo!

Porém a história nos revela que Ário não foi o vilão que os trinitarianos dizem ser, antes, ele foi objeto das profecias bíblicas (Daniel 7:8) na condição dos três chifres que foram arrancados para que se estabelecesse o império papal... A História demonstra que os Hérulos, os Ostrogodos e depois os Vândalos foram todos seguidores de Ário e todos eles aceitavam o credo escrito por Euzébio de Cesareia (um bispo que concordava com as idéias de Ário que, era um simples diácomo).

Basicamente este credo dizia que Cristo era um gerado (teve início no Pai). O imperador Constantino, convocando o concílio de Nicéia, aprovou este credo!

Porém, os bispos Athanásio e Alexandre, politicamente discordavam de Ário – não com as convicções religiosas dele – e procuraram apóio do imperador para se oporem à Ário. Para isto usaram uma palavra que antes rejeitavam com veemência – por ter saído de Ário - e que agora por não estar presente no texto, desejavam usá-la: Homoousion = Ele era de uma mesma substância que o Pai.

Mas porque então a confusão se os dois grupos concordavam que Cristo é um ser gerado e de mesma substância  que o Pai?

Simples: Ário aceitava a origem do Filho, mas não que Ele fosse a mesma pessoa que o Pai, ao passo que Alexandre ao usar esta palavra queria direcionar as mentes para que O filho por ser de mesma “substância” que o Pai, seria então “co-eterno” com o Pai... Uma mesma palavra dando duas conotações diferentes, porém o grupo liderado por Alexandre era muito mais poderoso e prevaleceu sobre o grupo de Ário, trocando a palavra original por Homoiousion (co-substancial).

Constantino assinou o novo credo, conforme Alexandre e Athanásio colocou e este texto foi pouco a pouco sendo revisado pela igreja católica em ascensão e hoje tornou-se essencialmente a base para o trinitarianismo.

Vamos ver as idéias que Alexandre disseminou.

“Alexandre declarou: —‘O Filho é imutável e invariável, auto suficente e perfeito como o Pai, diferenciado somente em autoridade, e em que, o Pai é um não gerado. Ele é a imagem exata de Seu Pai. Ele é a imagem que existe do arquetipo [original]; Foi isto que nosso Senhor ensinou quando disse, ‘Meu Pai é maior que Eu.’ E por essa razão acreditamos que o Filho procedeu do Pai; pois Ele é o reflexo da glória do Pai, e a imagem de Sua substância. Porém, ele não deixou que ninguém fosse conduzido disto à suposição que o Filho é não-gerado, como é crido por alguns que são deficientes em raciocínio intelectual: Isso para dizer que Ele era, que Ele sempre foi, e que Ele existiu antes de todas as eras, é não dizer que Ele não é gerado”. (“Gibbon, Declínio e Queda, Cap. V, versão inglesa par. i.” Pág. 333).

De acordo com Alexandre, a única diferença entre o Pai e o Filho é que o Filho foi gerado. Explicando como o Filho foi gerado, Alexandre cita Jesus dizendo que Ele procedeu do Pai. Ainda em sua declaração final, Alexandre afirma concernente ao Filho “que Ele sempre foi”. De alguma maneira ele lutou para conciliar a idéia do Filho que é gerado com a nova idéia de que Ele sempre existiu.  

Vamos dar uma olhada agora no que Ario ensinou.

Ario disse: “Nós dizemos e acreditamos, é ensinado, e ensina-se, que o Filho não é um não-gerado, de nenhuma maneira não-gerado, até mesmo só em parte; e que a sua subsistência não depende qualquer matéria; mas que pelo Seu próprio testemunho e palavra, Ele subsistiu antes do tempo, e antes das eras, como Deus perfeito, e somente gerado e inalterável, e não que Ele não existiu antes. Ele foi gerado, ou ‘criado’, ou pretendido, ou estabelecido. Ele não é nenhum não-gerado. Somos perseguidos porque dizemos que o Filho teve um começo, mas que Deus é sem início. Esta é realmente a causa de nossa perseguição, e também porque igualmente, dizemos que Ele não é do nada. E isto nós dizemos porque Ele é parte de Deus. Ele não é de qualquer material subjacente”.  (“Gibbon, Declínio e Queda, Cap. V, versão inglesa par. i.” Pág. 333)

É interessante notar que Ario usou a palavra “criado” ao referir-se ao Filho de Deus, mas como você pode perceber, em sua declaração anterior, ele deixa claro ter entendido que Cristo foi gerado do Pai, e então teve um começo. Ario acreditou verdadeiramente que Cristo era “o único Filho gerado de Deus”. E, foi por ter incluído esta palavra “criado” que hoje ficou esta conotação negativa do “arianismo”...

Para esconder toda a história, hoje, escritos de Ário são raros pois foram destruídos (apenas estes de Gibbon – Declínio e Queda estão completos) pela igreja católica que pouco a pouco foi introduzindo alterações no documento original de Nicéia.

Veja o que dizem sobre estes dias:

"Um erro que tem circulado pelo cristianismo ao longo do tempo, é dizer que tudo ligado ao Arianismo está associado com a crença de que Cristo era um ser criado. [Nota de rodapé: é duvidoso que muitos tenham acreditado que Cristo foi um ser criado. Geralmente, esses grupos evangélicos que se opuseram ao papado e foram marcados com ferro de Arianos, confessaram ambos a divindade de Cristo e que Ele foi gerado, não criado, pelo Pai. Eles recuaram de outras deduções extremas e especulações relativas a Divindade Suprema (Deus-Pai).]" (Benjamim G. Wilkinson, Verdade Triunfante, pág. 92)

"Se os ensinos de Ario eram normalmente apresentados a nós ou não como é, quem pode dizer? Phillipus Limborch duvida que o próprio Ario tenha afirmado que Cristo foi criado em vez de ser gerado. [Nota de rodapé: Limborch, A História da Inquisição, página 95]." (Benjamim G. Wilkinson, Verdade Triunfante, pág. 142)

É interessante que a história da controvérsia Ariana foi muito bem escondida, assim é difícil de determinar no que Ario acreditou. Foi necessário que utilizassem a persuasão pela força, pois parece duvidoso que todas as acusações trazidas contra Arius sejam verdadeiras. Tornou-se uma regra geral rotular ou denominar de Arianos todas as pessoas que não aceitassem à doutrina da Trindade. Desde então vem o pensamento que os Arianos acreditam em Cristo com um ser criado, e assim sendo não como um ser divino, esta tem sido uma contínua acusação, que se você negar a doutrina da Trindade, isto significa que você acredita que Cristo é um ser criado, e nega a divindade de Cristo. Esta acusação raramente foi precisa, quando aplicada a esses que divergiram com os ensinos aceitos pela Igreja católica.

Porém, observe que para ser um trinitariano você terá que negar a “geração de Cristo” – tornando se um “verdadeiro” ariano (?) – e para tal usam explicar que o “gerado” presente nas Sagradas Escrituras, referem-se apenas ao Cristo encarnado... Porém a Bíblia é clara em apresentar dezenas de passagens anteriores ao Seu nascimento em carne, como sendo o Filho unigênito de DEUS!

Mas, o que tem a ver Ário com a profecia?

Nos dias que se seguiram ao concílio de Niscéia, Ário foi chamado pelo imperador Constantino e pode fazer a sua confissão de fé. O seu grupo foi restabelecido em suas antigas posições e então, o grupo liderado por Athanásio, providenciaram o envenenamento de Ário!

Alguns anos depois, morre Constantino e seus três filhos disputam o império: Constancius era um defensor das idéias de Ário e seus irmãos Constantino II e Constans  não pretendiam ser nada... Após uma guerra entre os irmãos, Constantino II morre e  o império e a religião fica entre os dois irmãos. “Nos domínios de Constans todo os Arianos eram hereges; nos domínios de Constancius todos os católicos eram os hereges. A guerra religiosa continuou, e aumentou em violência." (Pág. 360)

Após intensas pressões, em 360 d.C. Constancius aprova um novo credo – com bases ariana – tornando-o ortodoxo e ignorado pela igreja católica.

Com a morte de Constancius em 375 d.C. seus dois filhos assumem e devido às suas tenras idades, aceitam a indicação pela igreja católica de um co-regente: Theodosius. E, não demorou muito para se ter um novo credo...

Inicia-se uma luta intensa pela imposição do novo credo, agora completamente trinitariano... Veja a seguir como a IASD vê este período, no comentário trinitariano do prof. Sigberto sobre a lição 7 da Escola Sabatina deste trimestre (4º trimestre de 2004), que estuda Daniel:

“Havia dez chifres no animal terrível e espantoso, que era um dragão, mas que Daniel não reconhecera. Esses chifres representavam a continuidade do Império Romano, porém, não mais em forma de império, mas fragmentado. Seriam, por assim dizer, os cacos do império uma vez poderoso. Mas os chifres faziam parte do império, isto é, o que dele sobrou.

Do corpo do dragão, portanto, fazendo parte dele, isto é, do que dele sobrou, saiu um 11ª chifre, menor que os outros. Este chifre, embora pequeno, tornou-se mais poderoso que os demais, e até arrancou três deles. Esse fato significa que três dos cacos que restaram do império romano foram destruídos. Esses três chifres foram os Hérulos, os Vândalos e os Ostrogodos, povos bárbaros mas que já se haviam inserido no território do Império Romano, assim como outros povos bárbaros, que se tornaram europeus. O pequeno chifre tem uma peculiaridade especial, diferentemente dos demais chifres, ele assumiu o poder do dragão, aliás, recebeu o poder do dragão. Vejamos como podemos entender essa parte: o dragão era o Império Romano, ou seja, o império instrumento nas mãos de satanás, sendo ele mesmo o dragão. Dragão é satanás, e tornou-se dragão o seu império, ou seja, o império do dragão, o mesmo que Império Romano. satanás deu poder ao seu império para destruir os adoradores do DEUS verdadeiro, aliás, tentou inclusive destruir o Filho de DEUS. O pequeno chifre, diferentemente dos demais chifres, recebeu de satanás o poder que este havia dado ao seu Império Romano, mas que DEUS fragilizara e finalmente eliminara pela ação dos povos bárbaros. Então satanás, na tentativa de continuar seu império, realizou todos os esforços para migrar para um outro sistema de dominação, o da igreja. Ele se empenhou em transformar a própria igreja de CRISTO na igreja dele, e conseguiu, restando com CRISTO apenas um pequeno remanescente, pequeno mas fiel”.

Veja que o comentarista (prof Sigberto), inconscientemente comprova que estes povos bárbaros já estavam cristianizados (europeus) e foram usados por DEUS para fragmentar o império romano e satanás, em oposição, levanta agora um poder político-religioso (o chifre pequeno).

Note também que para a IASD atual, assim como os católicos escondem que um dia foram arianos, manipula a história escondendo o fato que o chifre pequeno (na pessoa de Theodosius) perseguiu implacavelmente todos os que seguiam as idéias de Ário... e, a partir deste imperador, os que o seguiram, continuaram com estas perseguições Primeiro foram os Hérulos (norte da Itália – por volta do ano 470-490 d.C.), na sequência os Ostrogodos (que foram usados pelo imperador para destruir os Hérulos) que foram alvo, agora do imperador Justiniano (527 d.C.) e finalmente os Vândalos, no norte da África por também não reconhecerem a autoridade do primeiro papa, instituído por Justiniano e com autonomia total sobre a igreja (agora católica, apostólica e romana).

Não é estranho que o chifre pequeno – representando satanás - tenha querido perseguir e destruir povos pagãos? Satanás contra os seus próprios aliados! A Verdade era que todos estes povos eram seguidores de Ário e para que satanás pudesse se estabelecer teve que lutar e vencer estas oposições... Uma luta que durou cerca de 200 anos e, hoje, o mundo cristão tornou-se trinitariano e denigrem a imagem de quem um dia defendeu, com a sua própria vida, a natureza humana de Cristo, o gerado de DEUS, acusando-os de arianos!

 

Webmaster

 RETORNAR

RETORNAR