Make your own free website on Tripod.com

Coisas Que Não Te Contaram Sobre Mateus 28: 19.

Mas Hoje Você Tem a Chance e o Dever de Saber!

 

Novas descobertas em antigos livros escritos estão trazendo mais luz e a verdade sobre um dos textos bíblicos que têm sustentado a fé de muitos cristãos sobre uma das mais importantes doutrinas da Bíblia Sagrada. Quem é o Deus Único e Verdadeiro Que se Revela na Bíblia?

Durante séculos, acredita-se que existe uma unidade entre três pessoas distintas que formam uma só divindade ou um só Deus. Muitos tomam por base para apoio desta doutrina, o texto que está relatado em Mat. 28:19. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

Esta citação é única na palavra de Deus e outras fontes nos têm revelado que a mesma, não parece ter saído dos lábios de nosso querido Salvador, mas foi produzida por pessoas que desejavam impor suas próprias idéias e opiniões a cerca de suas interpretações pessoais das Escrituras.

Os teólogos são unânimes em concordar, que não devemos apoiar nossa fé, em ensinos que tem por base um texto isolado das Escrituras Sagradas. Não seria o caso de revermos nossa fé, no que concerne ao ensino sobre Deus? Não tem este ensino, sua sustentação neste verso isolado das Escrituras? Não são estas supostas palavras proferidas por Cristo, usadas como apoio ou base principal da fé no deus trinitário do atual cristianismo?

Veja a seguir, o que o livro “O Judaísmo e as Origens do Cristianismo” nos revelam sobre este verso ou palavras, que parecem não ter sido nem ouvidas e nem compreendidas por todos os discípulos de Cristo; sabendo-se que nenhum deles pôs em prática essa expressa ordem do Mestre. De fato, não há nenhum relato ou testemunho transcrito, nenhum outro registro de batismo nas Escrituras, onde esta fórmula trinitariana de batismo tenha sido colocada em pratica por algum dos discípulos do Grande Mestre, Filho de Deus, o Messias redentor do mundo.

Neste livro o autor nos informa, que a citação da formula batismal trinitariana, não consta em nenhum dos escritos de Eusébio, um dos pais da primitiva igreja cristã, pelo menos no período anterior ao Concílio de Nicéia.

O que consta nos escritos de Eusébio sobre o texto de Mateus 28:19-20 antes do Concílio de Nicéia é o seguinte: “Ide e tornai todas as nações discípulas em meu nome, ensinando-as a observar tudo o que vos ordenei”.

O Concílio de Nicéia, em 325 DC; foi o primeiro onde se discutiu sobre a natureza divina-humana de Cristo. È do conhecimento de quase todos os cristãos, que neste período da igreja primitiva, homens doutos já haviam introduzido vários ensinamentos espúrios a verdadeira fé, como por exemplo: O domingo em lugar do sábado, à veneração de imagens e etc.

Na figura abaixo esta o relato sobre o comentário acima, onde nos é informado que Eusébio não cita Mat. 28:19, em nenhum dos seus escritos anteriores ao Concílio de Nicéia, pelo menos da mesma forma como a que lemos hoje em nossas Bíblias. Isso parece mostrar que Eusébio desconhecia a citação de Mat. 28:19; na forma como ela aparece hoje nas escrituras e é aceita e citada por quase todos os cristãos, como base doutrinaria, da fé no “deus triuno”, em lugar da fé no “Deus Único e Verdadeiro” apresentado pela Bíblia. 

Se juntarmos a informação acima com as demais citações abaixo, deveríamos no mínimo, fazer uma reflexão mais profunda sobre nossa fé estar ou não, apoiada em textos isolados das escrituras sem ter um claro Assim Diz O Senhor, como base para as doutrinas apresentadas a nós, ditas como verdades.

Veja a seguinte declaração de Ellen G. White sobre mudanças nos textos sagrados.

Vi que Deus havia de maneira especial guardado a Bíblia, ainda quando dela existiam poucos exemplares; e homens doutos nalguns casos mudaram as palavras, achando que a estavam tornando mais compreensível quando, na realidade, estavam mistificando aquilo que era claro, fazendo-a apoiar suas estabelecidas opiniões, que eram determinadas pela tradição. Vi, porém, que a Palavra de Deus, como um todo, é uma cadeia perfeita, prendendo-se uma parte à outra, e explicando-se mutuamente. Os verdadeiros pesquisadores da verdade não devem errar; pois não somente é a Palavra de Deus clara e simples ao explanar o caminho da vida, mas o Espírito Santo é dado como guia na compreensão do caminho da vida ali revelado”. História da Redenção. Pág. 391. (Grifos acrescentados) A baixo, a confirmação das palavras da Sra White, em fonte extraída da própria igreja católica. 

Mais a baixo após a próxima figura, segue a tradução reveladora, informando-nos, que foi a ICAR, que introduziu a fórmula batismal trinitariana, no texto sagrado, dando prova das palavras de EGW acima.

O Catecismo do Vaticano confessa que o texto foi mudado:
(traduzido da pág.164)
Em Cristo - Na Bíblia nos diz que os Cristãos foram batizados em Cristo. (n°6) Eles pertencem a Cristo. Em Atos dos Apóstolos (2: 38; 8: 16; 10: 48; 19: 5) nos diz: "batizando em nome de Jesus". [pessoa] - uma melhor tradução diria: “para o nome de Jesus”. [Pessoa]  Unicamente no 4° Século a fórmula "Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo" tornou-se uma prática.
 


(traduzido da pág. 166)
Em adição, nós vimos como a igreja primitiva batizava: Primeiro o anúncio do Evangelho conseqüentemente Fé e o ato com o qual era selado em forma perfeita com o batismo “em nome [pessoa] de Jesus Cristo”.  Surge o que nós chamamos de Cristãos, que significa gente relacionada de especial forma com Cristo. Mais tarde, "no nome de Jesus" foi elaborado e tornou-se "no nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.
 

Talvez alguém pense que existe muita base no texto isolado de Mat. 28:19; Deve, porém observar, que este deveria corresponder ao texto de Lucas 24: 47 ou Marcos 16:15-16.
 

Veja que os apóstolos, só batizavam em nome de Jesus (Yeshua).
(Atos 2: 38; Atos 8: 12 e 16; Atos 10: 47,48; Atos 19: 5; Atos 22: 16; Ef. 4: 5; Rm. 6: 3,4; Gal. 3: 27; Col. 2: 11,12; Col. 3:17)

O que dizem outras fontes a cerca desta controversa passagem inserida no cânon sagrado?


ENCYCLOPEDIA BRITANNICA, 11th Ed. Vol. 3 Page 365-366, "The baptismal formula was changed from the name of Jesus Christ to the words Father, Son, and Holy Ghost by the Catholic Church in the 2nd Century." Vol. 3 Page 82 "Everywhere in the oldest sources it states that baptism took place in the Name of Jesus Christ."

ENCICLOPEDIA BRITÂNICA, 11a Edição, Vol.3  Pg 365-366, "A fórmula batismal foi mudada do nome de Jesus Cristo para as palavras Pai, Filho e Espírito Santo pela Igreja Católica no 2º Século. "  Volume 3 pag.82  "Sempre nas fontes antigas menciona que o batismo era em Nome de Jesus Cristo."

CANNEY ENCYCLOPEDIA OF RELIGION, Page 53 -- "The early church always baptized in the Name of Lord Jesus until the development of the trinity doctrine in the 2nd Century."

ENCICLOPEDIA DA RELIGIÃO - CANNEY, pg 53 -- "A religião primitiva sempre batizava em Nome do Senhor Jesus até o desenvolvimento de doutrina da trindade no 2° Século."

1913 CATHOLIC ENCYCLOPEDIA, Vol. 2, page 365, Here the Catholic acknowledge that baptism was changed by the Catholic Church.

ENCICLOPÉDIA CATÓLICA DE 1913, Vol. 2, pg 365, “Aqui o Católico reconhece que o batismo foi mudado pela Igreja Católica”.

HASTINGS ENCYCLOPEDIA OF RELIGION, Vol. 2 pages 377-378-389, "The Christian baptism was administered using the Name of Jesus. The use of the trinitarian formula of any sort was not suggested in the early church history, baptism was always in the Name of the Lord Jesus, until the time of Justin Martyr when the trinity formula was used." Hastings also said in Vol. 2 Page 377, commenting on Acts 2:38, "NAME was an ancient synonym for person. Payment was always made in the name of some person referring to ownership. Therefore one being baptized in Jesus Name became his personal property." "Ye are Christ's." I Cor. 3:23. NEW INTERNATIONAL ENCYCLOPEDIA, Vol. 22 Page 477, "The term "trinity" was originated by Tertullain, Roman Catholic Church father."

ENCICLOPÉDIA DA RELIGIÃO - HASTINGS, Vol. 2 pg 377-378-389. "O batismo cristão era administrado usando o nome de Jesus. O uso da fórmula trinitariana de nenhuma forma foi sugerida pela história da igreja primitiva; o batismo foi sempre em NOME do Senhor Jesus até o tempo do mártir Justino quando a fórmula da trindade foi usada”. Na página Hastings comentando Atos 3:28, diz: "NOME é o antigo sinónimo de pessoa. Pagamento foi sempre feito em nome de alguma pessoa, referindo-se a propriedade. Portanto alguém batizado em nome de Jesus torna-se sua propriedade pessoal”.  Nova Enciclopédia Internacional, Vol. 22 pg 477,   "O termo ‘trindade’ se originou com Tertuliano, padre da Igreja Católica Romana”.

TYNDALE NEW TESTAMENT COMMENTARIES: "... the true explanation why the early church did not at once administer baptism in the threefold name is that the words of Mat 28:19 were not meant as a baptismal formula. [Jesus] was not giving instructions about the actual words to be used in the service of baptism, but, as has already been suggested, was indicating that the baptized person would by baptism pass into the possession of the Father, the Son, and the Holy Ghost."

TYNDALE COMENTÁRIOS DO NOVO TESTAMENTO: "...a verdadeira explanação porque a igreja primitiva nunca administrava o batismo em nome dos três, que se refere Mat. 28:19 porque não significava uma formula batismal. [Jesus] não estava dando instruções das palavras que deveriam ser usadas no rito batismal, mas como já havia sugerido, que a pessoa batizada tornava-se posse do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
 

THE ENCYCLOPEDIA OF RELIGION AND ETHICS, James Hastings, p.384, "there is no evidence [in early church history] for the use of the triune name." Rev. Steve Winter

ENCICLOPÉDIA DE RELIGIÃO E ÉTICA, James Hastings, pg.384. "Não existe evidência [na história da igreja primitiva] do uso dos três nomes."Rev. Steve Winter ATOS 4:12 "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos." 

VEJA A SEGUIR O COMENTÁRIO ‘L’ TRANSCRITO, DO RODAPE DA BÍBLIA DE JERUSALÉM NOVA EDIÇÃO REVISTA, NA PAGINA 1896, REFERENTE AO TEXTO DE MATEUS 28:19. É A CONFIRMAÇÃO DE QUE ESTE TEXTO FOI UMA  INCLUSÃO POSTERIOR NAS ESCRITURAS SAGRADAS, BASEADA NA TRADIÇÃO DA IGREJA E NÃO,  NO “ASSIM DIZ O SENHOR”.

 

Conclusão

O que chamamos de "originais da Bíblia" foram encontrados em conventos e igrejas católicas. Você pode estar pensando na seguinte questão; Como se pode crer no restante das escrituras? Porque Deus escolheu assim?  Ellen White não poderia ter esclarecido melhor à questão?

Repetiremos a citação de EGW, pois talvez não a tenhas compreendido corretamente.

Vi que Deus havia de maneira especial guardado a Bíblia, ainda quando dela existiam poucos exemplares; e homens doutos nalguns casos mudaram as palavras, achando que a estavam tornando mais compreensível quando, na realidade, estavam mistificando aquilo que era claro, fazendo-a apoiar suas estabelecidas opiniões, que eram determinadas pela tradição. Vi, porém, que a Palavra de Deus, como um todo, é uma cadeia perfeita, prendendo-se uma parte à outra, e explicando-se mutuamente. Os verdadeiros pesquisadores da verdade não devem errar; pois não somente é a Palavra de Deus clara e simples ao explanar o caminho da vida, mas o Espírito Santo é dado como guia na compreensão do caminho da vida ali revelado”. História da Redenção. Pág. 391. (Grifos acrescentados)

Colaboração de Ennis Meier do www.alvorada.us e Milton Figueiredo do Ministério Adv. Bereano.

 

 

Texto de Autenticidade Duvidosa!

 

A História no decorrer dos tempos vem mostrando as mudanças efetuadas dentro do Cristianismo, por pessoas de grande influência religiosa, que causaram dentro da humanidade, grande subversão da lei divina, estabelecida dentro das escrituras sagradas.

 

O batismo em nome da trindade (Pai Filho e Espírito Santo), é a maior subversão já feita pelo homem dentro da Bíblia, pois tirou a primazia de Jesus Cristo como nosso salvador e mediador, para colocar o nome de um Deus trino, inexistente. Vamos expor alguns dados históricos que nos levam a provar o afirmado.

 

No Compêndio da História da Igreja de autoria de Frei Dagoberto Romag, I Volume , intitulado a Antigüidade Cristã , Editora Vozes pág. 90-93 e 143-145, diz que a ordem do batismo escrita em Mateus 28: 19 (O Batismo em nome do Pai Filho e Espírito Santo) , saiu da Pena de Tertuliano no ano 197.

 

Tertuliano era natural de Cartago, filiado a doutrina da trindade de Montano. Escreveu o primeiro catecismo sobre o batismo da trindade, e acompanhado com este batismo ,o sinal da cruz, e chamava-se "A fé de Irineu e Tertuliano".

 

Após sua morte no ano de 220, este dogma foi introduzido no ano 255 no primeiro sinódio dirigido por Cipriano. Tertuliano foi chamado de autor do batismo da idolatria (Dicionário Prático Ilustrado, edição, 1957., Lello & Irmãos-Editores pg. 1908).

 

O bispo de Roma, Estêvão I, não aceitou esse batismo como nova doutrina na Igreja de Catargo, mas não o eliminou. Sisto II aceitou a comunhão com a Igreja de Catargo, e em 313 em outro sinódio foi confirmada a ordem do batismo em Nome do Pai Filho e Espírito Santo, contrária aos donatistas que batizavam em nome de Jesus Cristo (Compêndio da História da Igreja, pág. 191-193, Essência do Catolicismo, segunda Edição, pág. 173 ).

 

Os Donatistas protestaram contra o batismo em nome da trindade, e Constantino tirou as suas Igrejas, e confiscou os seus bens. Ario bispo da Igreja Apostólica ensinou, que Cristo é o filho primogênito e unigênito criado pôr Deus, e que a salvação consiste em crer nas duas pessoas da divindade (João 3:16-18, 14:1, 17:3), negou a trindade ensinando que o batismo para perdão de pecados é somente aquele praticado em nome de Jesus Cristo.

 

Em 325, foi realizado o primeiro concílio em Nicéia, para confirmar a trindade e o batismo em seu nome, e esse concílio foi presididos por Constantino, o bispo Silvestre, Ozio e Atanásio, que negaram Cristo como princípio da criação de Deus (Provérbios 8:22-31, João 1:1-3, Colossenses 2:15-17) e sem prova desta verdade, estabeleceram o Dogma que em Deus há uma só pessoa que se manifestou como Pai, Filho e Espírito Santo em substância eterna (Compêndio da História da Igreja, pág. 165-166).

 

A negação da divindade como duas pessoas distintas é doutrina do Anti-Cristo ( I João 1: 2-4, 2: 18-26 ) , a partir do estabelecimento da trindade como dogma, começou a perseguição para aqueles que não aceitavam esta apostasia (livro: História do Cristianismo por A . E. Knight e W. Anglin, terceira edição, pág. 192-210, livro: História da Inquisição por Antônio José Saraiva, publicações Europa Portuguesa América)

 

A ordem de Mateus 29.19 introduzida na Bíblia, que como já foi exposto, é contraditória a tudo o que foi praticado por Jesus e os seus Apóstolos. A Bíblia nos afirma em Lucas 24.46.48, que Jesus apareceu aos seus onze discípulos dizendo que era necessário que Cristo padecesse, mas que ressurgisse dos mortos ao terceiro dia, e que em seu nome se pregasse o arrependimento penitência e a remissão dos pecados a todas as nações, começando pôr Jerusalém, e isto não podemos negar, sob pena de negarmos o sacrifício de Cristo na cruz por toda humanidade.

 

Teófilo no ano 190 d.C. emprega pela primeira vez a palavra Trindade e no ano de 197, Tertuliano emprega ela no batismo com o sinal da cruz.

Nossa luta é em prol do restabelecimento da verdade.

 

gouveiaedias@aol.com

Um grande abraço..

 

Flávio Gouveia

 

SAIBA MAIS EM....

11 Razões Bíblicas para se questionar o formula batismal trinitariana.

Livro escrito por Eusébio não contem fórmula batismal trinitariana.

Evangelho original de Mateus 28:19 não contém formula batismal trinitariana

Sociedade Bíblica do Brasil responde sobre texto de I João 5:7-8.

Teólogos trinitarianos reconhecem que I João 5: 7-8 é apócrifo

 

RETORNAR