Make your own free website on Tripod.com

O senhor Pecado e o Dom do espírito Santo

 

 

 “E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do espírito” (Efes 05:18).

 

Mas Estevão, cheio do espírito Santo, fitando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus em pé à direita de Deus, e disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem em pé à direita de Deus.” (Atos 10:55-56)

 

Jesus, após sua morte literal, ressuscitou e levou cativo o cativeiro da morte e deu dons aos Homens (Efésios 04:08).

 

O pecado, que havia matado e deixado a humanidade cativa (O pecado não é uma pessoa, mas um estado de rebelião, embora a Bíblia algumas vezes o trata como se fosse uma pessoa, um reino, etc), aproveitando do oportunismo, ainda nos engana e nos mata espiritualmente.

 

Vejamos o que diz Romanos 7, onde o pecado é personalizado e age para ruína humana: “Mas o pecado, tomando ocasião, pelo mandamento operou em mim toda espécie de concupiscência; porquanto onde não há lei está morto o pecado.  E outrora eu vivia sem a lei; mas assim que veio o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri; e o mandamento que era para vida, esse achei que me era para morte. Porque o pecado, tomando ocasião, pelo mandamento me enganou, e por ele me matou.”

 

O pecado nos fascina e nos engana. Ele age na surdina, alimentando as concupiscências e desejos não alinhados com a verdade de Deus. Mesmo o pecado sendo oportunista e gerando o desejo de rebelião contra Deus, não o devemos personalizar, assim como não devemos personalizar o espírito Santo de Deus, como pessoa separada de Deus. O Senhor pecado é um estado de rebelião (sem causa) e separação de Deus (I João 3:4; Isaías 59:2). O senhor pecado tem um reino (Rom 6:12) e se aproveita das oportunidades (Rom 7:8) para nos separar de Deus e de sua Verdade.

 

O "senhor" espírito Santo, também é um estado e um Dom, em que o crente vive em comunhão com Deus e Seu Filho, através do espírito que jorra da presença de ambos (I João 1:3). Precisamos da comunhão do espírito para permanecermos comungando com o pai e com o Filho (II Cor 13:13).

 

O espírito Santo muitas vezes é associado com a água e com o fogo. (Mateus 3:11; Mar 1:8; Atos 2:3). Água e fogo não podem ser classificados como pessoa, e o espírito Santo, (quando não se trata diretamente da pessoa do Pai ou do Seu Filho unigênito), não deve, assim como o senhor pecado, ser tratado como pessoa. A Bíblia não personaliza o espírito de Deus, mas diz que ele é o meio de comunhão ou canal para nos ligar ao Deus Único e Seu Filho (II Cor 13:13). Na recíproca da personalização, citaremos abaixo algumas das coisas feitas pelo pecado, como que personalizado.

 

Deus deu o que melhor tinha no Universo para o ser humano. Deus não nos deu anjos, dinheiro, algo fácil dEle fazer, mas deu o que de mais precioso tinha. Deus nos deu o Seu Filho Unigênito, para que fôssemos salvos do cativeiro do senhor pecado e da morte. O segundo Dom, também muito precioso, é o dom do Seu espírito Santo.

 

Através desse segundo dom, o Dom do espírito Santo, o primeiro presente de Deus, Jesus, pode se fazer presente em nossa vida, pois o próprio Cristo afirmou que não nos deixaria órfãos e que estaria conosco até o fim do mundo. (João 14:18; Mat 28:20).

 

O “Elo” que une Jesus aos crentes é o penhor do Seu espírito Santo, o canal de ligação entre o crente e Jesus. Ele (Jesus) intercede por nós, traduzindo nossos receios e nossas petições ao trono da graça, com gemidos que não há palavras humanas para descrever. (Rom 08:27; Rom 8:26). Assim como o fogo e a água são essenciais aos seres humanos, o espírito Santo é essencial para que a ligação e a comunhão com Cristo e com o Pai seja feita.

 

O espírito Santo não é distribuído como os crentes desejam, mas sim como o doador desse dom (o Pai) assim o quiser (Heb 2:4). E esse dom é dado exclusivamente para edificação da igreja invisível de Deus (Efésios 4:12) e de forma completamente gratuita (I Cor 2:12).

 

Em I Cor 12:7-11,6, lemos: “A cada um, porém, é dada a manifestação do espírito para o proveito comum. Porque a um, pelo espírito, é dada a palavra da sabedoria; a outro, pelo mesmo espírito, a palavra da ciência; a outro, pelo mesmo espírito, (....) Mas um só e o mesmo espírito opera todas estas coisas, distribuindo particularmente a cada um como quer.” Verso 6: “E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.”

 

Visando a edificação, o espírito Santo, ao contrário do senhor pecado (Rom 7:8) leva o crente a presença de Cristo, junto ao trono da Graça. (Heb 4:16). É por isto que o espírito nos convence do pecado, da justiça e do juízo. Ele trabalha na mente, e, quando se passa a ter a mente de Cristo (I Cor 2:16), o pecado tem de procurar outra moradia. (Rom 6:12).

 

Na mente e no coração dos homens, não pode conviver para sempre o senhor pecado e o espírito Santo de Deus. Ao ser removido o senhor pecado, o espírito Santo que nos é dado com dom gratuito de Deus, toma conta da vida do crente. (Atos 2:38).

 

Precisamos nascer do espírito assim como nascemos da carne. Precisamos como Cristãos nascer para uma vida espiritual, ligados por esse dom maravilhoso, dado gratuitamente por Deus, para que possamos ser selados para a redenção. (João 3:5; Efésios 1:13). Sem o penhor do espírito Santo de Deus, o canal de nossa comunhão com Deus e nosso fortalecimento espiritual, não conseguiremos nos aperfeiçoar e nem atingiremos as metas requeridas por Deus.  Quem não nascer do espírito, não poderá se salvar (João 3:5-6), visto o senhor pecado o ter dominado e o levar à morte (Rom 7:8-9). Somente alcançaremos a salvação se formos lavados no sangue de Cristo e aperfeiçoados pela presença viva de Cristo ressuscitado no coração, através do dom do espírito. (I Cor 6:11).

 

Através do mesmo espírito, pelo qual Cristo a si mesmo se ofereceu, nós nos habilitamos a servir a Deus (Heb 9:14) e não mais escravos do senhor pecado que nos vencia (II Pedro 2:19). Podemos vencer somente se, aplicarmos a realidade do sacrifício de Cristo em nossa vida e obter, por intermédio de Cristo a carta de alforria, livrando-nos do domínio do senhor pecado. Sem esse dom maravilhoso que é a presença viva de Cristo no coração, através do espírito, não conseguiríamos dar o primeiro passo.

 

Assim como “nossos pais segundo a carne nos corrigiam, e os olhávamos com respeito; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, e viveremos? Pois aqueles por pouco tempo nos corrigiam como melhor imaginavam, mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade.” (Heb 12:9-10).

 

O Senhor também nos corrige, nos repreende e nos diz: “Sê vigilante, e confirma o restante, que estava para morrer; porque não tenho achado as tuas obras perfeitas diante do meu Deus. Lembra-te, portanto, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. Pois se não vigiares, virei como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.” (Apoc 03:02-03), e mais “aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te.” (Apoc 3:18-19).  O Senhor Deus e Seu Filho Jesus, quer nos livrar do domínio do senhor pecado, que nos cega para não vermos as maravilhas que Deus opera para nos salvar.

 

E a todo que vencer o senhor pecado, Jesus promete algo maravilhoso: Sentar-se no Seu trono, assim como Ele venceu e Se assentou no trono de Seu Pai (Apoc 3:21). E pede encarecidamente para ouvirmos o que o Seu espírito diz as Igrejas (verso 22).

 

Nota NO TEMPO DO FIM: Nas Sagradas Escrituras encontramos diversas características "pessoais" atribuídas a coisas e sentimentos. VEJA, por exemplo, I Cor 13:4-8 encontramos cerca de quinze características humanas atribuídas ao amor...

 

Irmão, entre ouvir o que o espírito diz de Deus e de Seu filho ou escutar e seguir tradições humanas, qual é mais importante? Devemos nos encher do espírito e não do mosto das tradições Egípcias, Romanas, Babilônicas, Brasileiras, ou de qualquer tradição que vá contra a palavra de Deus. Devemos nos encher do espírito, não do mosto de confusão que contaminou a cristandade (Efe 5:18).

 

 

A SEGUIR, ALGUNS DOS CONTRASTES DO QUE DIZ O SENHOR PECADO E DO QUE DIZ A VERDADE

 

O Senhor pecado disse: “Adaptem filosoficamente as trindades pagãs ao cristianismo, que os pagãos se converterão. Façam a religião cristã atraente e verás o resultado de muitas ‘conversões’.

O Senhor Deus diz:Não terás outros deuses diante de mim

 

O senhor pecado diz:Guardem o domingo em homenagem a ressurreição de Cristo.

O Senhor Deus diz:Lhes dei os meus Sábados para servirem de sinal entre mim e vós.” “Lembra-te do dia do Sábado para o Santificar.”

 

O Senhor Deus diz:Eu amei a humanidade caída e dei meu filho unigênito para que resgatasse muitos com sua morte vicária” “ele se esvaziou tornando-se servo” e foi “em tudo semelhante aos irmãos”. (João 3:16; Fil 2:7; Hebreus 2:17)

O senhor pecado diz: “Jesus é Deus e faz parte da trindade. A trindade é imortal. Só morreu uma parte humana de Jesus, pois Jesus tinha duas naturezas. A natureza divina não morreu. Jesus teve a natureza de Adão antes da queda, e por isso não pecou...

 

Veja artigo sobre a morte de Jesus em:

http://tempodofim3.tripod.com/MorteFato.htm

 

O Senhor diz: Não temas, eu sou contigo, eu te fortaleço e te ajudo” (Isaías 41:10) “Sedes Santos, como eu Sou Santo” (Lev 20:7).

O senhor pecado diz:Ninguém consegue guardar a lei” “Jesus guardou por que tinha uma natureza divina que o protegeu de pecar”.

 

O Senhor pecado diz:Jesus mandou um substituto para vós. A terceira pessoa da trindade, e ele deve ser adorado.”.

O Senhor Jesus diz:Não vos deixarei órfãos”. “Eis que estou convosco todos os dias até o fim do mundo.” (Mateus 28:20; João 14:18).

 

O senhor pecado diz:Há um só Deus: Pai, Filho e espírito Santo, uma unidade co-eterna. Não são três deuses, mas um só Deus. Pai, Filho e espírito Santo compartilham a mesma natureza divina

O Senhor Deus diz:O Senhor Deus é um Só” e do seu filho, diz: “Tu és meu filho, eu hoje te gerei” (Deut 6:4; Heb 5:5).

 

O senhor pecado diz:Devemos adorar o Deus espírito Santo, vamos adorá-lo, vamos glorificá-lo.

O Senhor Deus diz: “A minha glória não darei a outro” (Isaías 42:8)

 

O Senhor pecado diz:A cristandade não pode estar errada, ao acreditar na doutrina da trindade. Todos estariam errados? Esses poucos que combatem esta doutrina é que estão errados. A Maioria com certeza está certa. Vede que igrejas majestosas!

O Senhor Jesus Diz:Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram.” (Mateus 7:13-14)

 

O Senhor pecado diz: “Não acreditar na trindade é pecar contra o espírito Santo”.

O espírito diz: “Hoje se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração” (note que, a Blasfêmia contra o espírito Santo consiste em atribuir a Satanás a obra de Deus. "Qualquer, porém, que blasfemar contra o espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu de eterno juízo. (Porque diziam: Tem espírito imundo)." (Marcos 3 : 29, 30)

 

O senhor pecado diz:Óh Adorai, ao Deus triúno” (Hinário IASD, 585)

Todos os Salvos dirão: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos”  (Apoc  5:13).

 

 

 

Misael malagoli

Misaelmalagoli@gmail.com

 

 

Nota NO TEMPO DO FIM: Cremos que para não caracterizar a palavra ESPÍRITO como sendo uma PESSOA, não devemos escrever com iniciais maiúscula, porém, devido à procedência, a palavra SANTO assim deve ser grafada; portanto  devemos escrever: espírito Santo! O mesmo deve ser quando escrevemos TRINDADE... Com minúscula para não se dar REVERENCIA a algo advindo do paganismo...

 

RETORNAR